Portal O Senado
PresidÍncia
Grandes Momentos do Parlamento Brasileiro
 
 



"Se amanhã, apavoradas diante da crescente maturidade popular, as elites dirigentes recorrerem ao regime discricionário como forma de afastar o povo do processo político, não restará ao povo outra alternativa senão o arrrebentamento dos diques. Ninguém jamais deteve, nem deterá impunemente, a marcha do povo."

Almino Monteiro Álvares Affonso nasceu em Humaitá (AM) no dia 11 de abril de 1929, filho de Boemundo Álvares Affonso e de Dolores Monteiro Álvares Affonso.

Iniciou os estudos superiores na Faculdade de Direito do Amazonas, transferindo-se, em 1949, para a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), onde se formou.

Em 1958 abandonou suas atividades em São Paulo e retornou a Manaus para disputar uma cadeira à Câmara Federal pelo Amazonas. Foi o único candidato eleito na legenda do Partido Social Trabalhista, naquele estado.

No pleito de outubro de 1962, Almino Affonso foi o candidato que obteve a maior votação à Câmara Federal pelo Amazonas, reelegendo-se na legenda do PTB.

Em 1963, o Presidente João Goulart o designou Ministro do Trabalho e Previdência Social, mas ele se demitiu no mês de junho daquele ano.

Retornando à Câmara Federal, assumiu a liderança do bloco compacto do PTB.

Em 1º de abril, após o movimento político-militar que, em 31 de março de 1964, depôs João Goulart, Almino Affonso participou de uma reunião com Goulart em Brasília, para analisar o quadro político e a possibilidade de resistência. Em 10 de abril, na primeira lista de cassações divulgada, constava seu nome.

Asilado na embaixada da Iugoslávia, em Brasília, Almino Affonso permaneceria longos anos no exterior. Da Iugoslávia transferiu-se para o Chile, Uruguai, Peru e Argentina.

Em agosto de 1976 retornou ao Brasil e, em maio de 1979, filiou-se ao MDB. Com a extinção do bipartidarismo, em 29 de novembro de 1979, filiou-se ao PMDB.

Foi eleito vice-governador de São Paulo, nas eleições de 1986, pela legenda do PMDB, para o mandato 1987-1990.

Em 1994 foi eleito deputado federal, na legenda do PSDB, para o mandato 1995-1999. Atualmente está filiado ao PSB, Partido Socialista Brasileiro.

Almino Affonso é casado com Lígia de Brito Álvares Affonso, com quem tem quatro filhos.

 

voltar ao início da página

 

 

22 de agosto de 1963

 

Contexto Histórico
Áudio - mono

Áudio
Volume 2

Pronunciamento
Áudio - mono

Áudio
Volume 2

 

Em 22 de agosto de 1963, às vésperas do nono aniversário da morte de Getúlio Vargas, que, no dia 24, seria homenageado no Rio, numa concentração promovida pelos trabalhistas, o Deputado Almino Affonso analisa a situação do País, recordando os motivos que teriam levado Vargas ao suicídio. Com base em revelações da imprensa internacional, diz que em 1954 se desejava a abertura comercial do Brasil ao exterior e se pensava no fim do monopólio de petróleo pela Petrobrás. Em seu discurso, propõe a reforma da Constituição visando à concessão do voto aos analfabetos e à concretização da reforma agrária.

 

voltar ao início da página