Reforma do Exército extinguiu patente de marechal

Marechal (Mal.) era a patente máxima no Exército Brasileiro e na Força Aérea Brasileira, sendo que nesta última tinha o nome de "marechal-do-ar", posição equivalente à de almirante na Marinha. O mais alto posto da força terrestre se distingue por utilizar cinco estrelas, sendo que o marechal-do-ar as utilizava na posição aproximada do Cruzeiro do Sul e o marechal no Exército, em formato de "x", enquanto as estrelas do almirante se posicionavam em pentágono.

Até a reforma estrutural do Exército, em 1967, durante o governo do então presidente Castelo Branco, os generais-de-Exército (com quatro estrelas), ao passarem para a reserva, ganhavam a quinta estrela pela promoção automática. Em 1975, o Exército tinha 73 marechais - o que significa que havia mais marechais brasileiros do que franceses e ingleses juntos ao longo de toda a história de guerras no decorrer do século 20. Com a reforma, ficou definido que somente haveria a promoção de general-de-Exército ao posto de marechal em caso de guerra.

O último marechal brasileiro na ativa foi Mascarenhas de Moraes, em função da posição de comandante da Força Expedicionária Brasileira, que por um decreto do Congresso Nacional, foi mantido honorificamente de forma vitalícia na tropa ativa, até seu falecimento, em 1968. No período imperial, a patente era denominada de marechal do Exército.

Fechar