Cristovam propõe federalizar educação e priorizar saúde e Rollemberg quer educação de qualidade

13/10/2010 19:41:55

Cristovam Buarque

Cristovam Buarque (PDT-DF)O senador eleito pelo Distrito Federal Cristovam Buarque (PDT-DF) pretende apresentar durante seu segundo mandato projetos de lei que tornarão o ensino no Brasil responsabilidade União. Uma das propostas é criar a Carreira Nacional do Magistério, tornando incumbência do governo federal a gestão das escolas públicas em todo o país - ou seja, as escolas municipais e estaduais passariam a ser federais. O outro projeto do senador será o Programa Federal de Qualidade Escolar em Tempo Integral, que aumentará as horas de permanência do estudante na escola.

Ao fazer planos acerca do novo mandato, ele explicou que, assim como a educação, a saúde será uma das suas grandes prioridades no Congresso Nacional nos próximos oito anos.

- Saúde e educação compõem o que a gente quer garantir como condições absolutamente iguais a todos; e seria imoral haver diferença entre essas duas bandeiras - justificou o ex-ministro da Educação e ex-governador do Distrito Federal, que renovou o mandato com 37% dos votos válidos e teve a melhor colocação na disputa pelo Senado no DF.

Cristovam disse que trabalhará para melhorar a vida dos cidadãos com mais renda, emprego e moradia. Ele frisou a importância de normatizar o uso sustentável e a reposição dos recursos naturais a fim de garantir que cada geração tenha o mesmo direito a um meio ambiente viável. 

Rodrigo Rollemberg

O Brasil tem muitos desafios a enfrentar e um deles é garantir educação de qualidade a todos,Rodrigo Rollemberg (PSB) com mais recursos, melhores escolas e maior valorização dos professores. A opinião é de Rodrigo Rollemberg (PSB), eleito em três de outubro para seu primeiro mandato como senador pelo Distrito Federal. Atualmente, ele conclui mandato de deputado federal.

Rollemberg afirmou, em entrevista à Agência Senado, que também vai defender propostas nas áreas de ciência, tecnologia e inovação, visando principalmente agregar conhecimento e valor a produtos e processos desenvolvidos no país.

- Não podemos ser um país simplesmente exportador de matéria prima - frisou Rollemberg.

Ele também deverá trabalhar para garantir recursos para programas estratégicos na área espacial, nuclear, de defesa nacional, de política industrial, de pesquisa na Amazônia e de biotecnologia, além de investimentos em saúde pública.

- Precisamos garantir outras fontes de investimento para o setor e melhorar a gestão do SUS [Sistema Único de Saúde] - esclareceu.

Impostos

Também está na agenda de prioridades de Rollemberg trabalhar pela reforma tributária. O parlamentar explicou que tramita na Câmara dos Deputados projeto de sua autoria prevendo isenção de impostos sobre produtos da cesta básica, para evitar que os brasileiros gastem "grande parte dos seus salários com comida".

Com relação a este e a outros projetos de sua autoria apresentados na Câmara, ele explicou que ainda decidirá se vai esperar que as matérias cheguem ao Senado ou se os apresenta novamente como senador, para "garantir tramitação mais rápida". Mas já adiantou que apresentará uma emenda à constituição para tornar o acesso à internet um direito fundamental de todos os cidadãos.

O parlamentar informou ainda que, no primeiro discurso que fará como senador, apresentará uma avaliação de sua trajetória política. Também fará uma reflexão sobre a conjuntura econômica e política do país, bem como sobre as contribuições do Senado para que o Brasil ocupe espaço cada vez maior no cenário internacional.

Valéria Castanho / Agência Senado