Estudo da ONU alerta sobre aumento de moradias em comunidades degradadas

04.07.2006

A Senadora Maria do Carmo Alves registrou, em pronunciamento no Senado Federal, a importância do estudo apresentado pelo Programa das Nações Unidas para os Estabelecimentos Humanos – Habitat, sobre “O estado das cidades do mundo – 2006/2007”, que revelou o grande número pessoas que atualmente habita em comunidades degradadas.

De acordo com o documento, 52,3 milhões de brasileiros, o equivalente a 28% da população, vivem em moradias precárias e passam mais fome, têm menos educação, menos acesso ao setor formal de empregos, sofrem mais com doenças e estão mais expostos à violência, que o resto da população urbana, segundo dados de 2005.

Para a Senadora, esses números não têm como ser ignorados e exigem políticas públicas que venham a oferecer soluções para diminuição das desigualdades e maior acesso aos serviços básicos essenciais.

Informações fornecidas pelo Gabinete da Senadora