/NOTíCIAS

11/04/2012
Cidadãos se manifestam, no Alô Senado, contrários ao aborto em caso de anencefalia fetal. Baixa qualidade da educação, remuneração de professores e falta de estrutura nas escolas são alvo de críticas.

O julgamento que ocorre hoje no STF, e decidirá se é crime o aborto de feto anencéfalo, estimulou a participação de cidadãos no Alô Senado nesta terça-feira (10). Estes voltaram a se manifestar contrários à aprovação do PLS 50/2011 que autoriza a interrupção voluntária da gravidez em caso de anencefalia fetal. Para as pessoas que se manifestaram, não se pode decidir sobre a vida de um feto como se este fosse apenas um objeto.

Os temas educação e ensino também foram mencionados à Central de Relacionamento do Senado. Os cidadãos registraram preocupação em relação ao estado atual da educação brasileira. De acordo com estas manifestações a baixa qualidade da educação e o pouco interesse do governo em mudar esse quadro, contribuem para a perpetuação do baixo rendimento dos alunos.

Outros problemas apontados foram a falta de estrutura das escolas e a baixa remuneração dos professores. Segundo os que se manifestaram é importante que o governo tenha um olhar mais atento ao problema para evitar greves que atrasam e prejudicam o ano letivo.

Lembramos que as opiniões registradas pela Central de Relacionamento e pelas mídias sociais do Alô Senado, Twitter e Facebook, refletem a visão pessoal dos cidadãos que se manifestaram por intermédio destes canais de comunicação. Estas opiniões não podem, de forma alguma, ser extrapoladas para toda a população brasileira.

STRANS - SUBSECRETARIA DE PESQUISA E OPINIÃO | Senado Federal, Via N2, Anexo D, Bloco 4, Cep 70165-900, Brasília/DF | (61) 3303-1211 | Alô Senado: 0800 612211