Senado Federal | Agência Senado
Imprimir esta página
 
Transtorno do pânico

Parece a síndrome, mas não é

 

Algumas doenças podem causar episódios de pânico ou crises parecidas. É preciso investigar se existem esses problemas antes de confirmar o diagnóstico do pânico:

Hipertireoidismo – As alterações da glândula tireóide geralmente causam vários sintomas inexistentes no pânico, como grandes alterações no peso e no dinamismo da pessoa, e podem ser diagnosticadas através de exames de sangue.

Feocromocitoma – Problema raro que provoca excesso de adrenalina e de outras substâncias no sangue, causando as crises de pânico. Um exame de sangue pode identificar a doença.

Problemas no ouvido – Apesar de não provocarem medo, sintomas de doenças como a labirintite (tonteiras, enjôos, vômitos e desequilíbrios) podem ser confundidos com o transtorno do pânico.

Convulsões – Inesperadas e de curta duração, podem ser confundidas com o pânico, exceto se causarem perda de consciência (o transtorno de pânico não causa desmaios)

Uso de drogas e remédios – Cocaína, ecstasy, maconha, LSD, estimulantes e alguns remédios, como as anfetaminas, por exemplo (muito usadas no Brasil para emagrecer), podem produzir crises de pânico, mas uma vez eliminadas, o problema desaparece.

Doenças cardíacas – quem tem crises de pânico deve fazer exames do coração para descartar problemas cardíacos.



Agência Senado - Senado Federal | E-mail: agencia@senado.gov.br
Praça dos Três Poderes, Anexo I, 20.º andar.
70165-920 - Brasília DF