Marta surpreende e disputa com Covas

SÃO PAULO - Os resultados da boca-de-urna do Ibope, que deram empate técnico entre os candidatos Marta Suplicy (PT) e Mário Covas (PSDB) agitaram o comando da campanha do ex-prefeito Paulo Maluf (PPB), que até o final da votação esperava que Francisco Rossi (PDT) viesse a ser o seu adversário no 2° turno. "Estou preparado para enfrentar a Marta Suplicy ou o Mário Covas, porque tenho mais de 2,5 milhões de votos sobre eles e disponho de um programa de governo para vencer no próximo dia 25", reagiu Maluf. Segundo os índices do Ibope, os segundo colocados, Covas e Marta Suplicy, conseguiram cada um 20% dos votos, contra 33% para Maluf. Rossi, que aparece em terceiro lugar, com 18%, estaria fora do páreo. Esses resultados batem com os levantamentos da boca-de-urna do instituto Datafolha e do Vox Populi, segundo os quais Maluf tinha 34%; Covas, 21% e Marta Suplicy, 19%. A diferença ficava por conta de Rossi, que conseguira 18% no Datafolha e 13% no Vox Populi. A casa de Maluf, no Jardim América, ficou superlotada no início da noite, quando dezenas de malufistas invadiram seus jardins. Além dos candidatos a vice-governador, Luiz Carlos Santos, e a senador, Oscar Schmidt, apareceram o senador Romeu Tuma (PFL-SP), a apresentadora Hebe Camargo, o megainvestidor Naji Nahas e vários candidatos da coligação PPB-PFL. Independentemente de quem venha a ser seu adversário, Maluf espera contar com o apoio de Fernando Henrique para o 2° turno. "Fernando Henrique precisa de 27 governadores experientes e, como eu serei um deles, seu apoio será bem-vindo", disse Maluf, sem deixar de esnobar a aliança com o presidente da República. "Em 1996, esse apoio não foi muito benéfico para o candidato do presidente", lembrou o pepebista, referindo-se à derrota do ministro José Serra (PSDB) na disputa para a Prefeitura de São Paulo. A candidata do PT, deputada Marta Suplicy, não se surpreendeu com os resultados da boca-de-urna. "Quando as urnas forem abertas, muitos terão uma bela surpresa, inclusive os institutos de pesquisa", repetiu a deputada várias vezes ontem, insistindo que sempre soube que estava no páreo. "Só não vou sentar na cadeira de governador antes da hora, como fez uma vez certo candidato", ironizou Marta, referindo-se a Fernando Henrique, que em 1985 posou para fotos no gabinete do prefeito e acabou perdendo a eleição para Jânio Quadros. A candidata disse que, chegando ao 2° turno, vai "partir para acabar com o nefasto Maluf". O governador Mário Covas considerou "compreensível" o seu bom desempenho nas eleições. Apesar, no entanto, de aparecer empatado em segundo lugar com Marta Suplicy em três pesquisas de boca-de-urna, ele disse que só vai comemorar a vitória depois de saber o resultado oficial. "Espero que eu esteja no 2° turno, mas seria desagradável contar com uma coisa que não se concretiza", advertiu o governador. Covas disse que um confronto com Maluf seria estimulante para ele. O pedetista Francisco Rossi confessou-se assustado com a divulgação das pesquisas de boca-de-urna pela televisão enquanto mais de 600 mil eleitores ainda estavam votando na capital. Rossi anunciou que está estudando uma medida legal para entrar na Justiça contra os institutos, caso venha a ser prejudicado.