|. HOME .| -->

O problema mundial da água: uma política do Brasil para proteção dos recursos hídricos


2. Preservação da água

• Consagrar o princípio da interdependência da proteção ambiental. Problemas, considerados internacionalmente e internamente como setoriais, na verdade estão interligados. Por exemplo, a água, como natureza e recurso hídrico, enfrenta problemas de quantidade e de qualidade. Diante desses problemas, dois vetores são destacados: o clima e a economia. Sobre o clima, o lançamento de gases de efeito estufa na atmosfera e a própria dinâmica da atmosfera global terão impacto na quantidade de água do mundo. Sobre a economia, os recursos hídricos deixam de ser de escala local para ter uma dimensão internacional.

• Estados, administrações locais, empresas, agricultores e sociedade civil devem compartilhar a responsabilidade diante das principais causas geradoras da contaminação da água: agrotóxicos, eutroficação da água, dejetos e resíduos humanos.


Várzea do rio Tietê: proteção dos recursos hídricos deve ser tarefa dividida entre Estado, agricultores e sociedade civil (Foto: João Paulo Chagas)

No debate, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC) advertiu que o Brasil dispõe de um grande manancial de águas subterrâneas, mas não tem uma política de utilização desses recursos. “Não temos uma estratégia de conservação dessas águas, que evite a contaminação dos mananciais”, explicou, defendendo a implementação de uma política nacional para massificar a produção de energia a partir de dejetos.


Luiz Henrique advertiu que país dispõe
de grande manancial hídrico mas não
construiu política para sua utilização
racional (Foto: José Cruz/Agência Senado)

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) afirmou que uma aposta em novas tecnologias e em decisão política poderia transformar o “grave cenário atual” com a oferta de atividades que, além de restauradoras do meio ambiente, fossem “extremamente produtivas do ponto de vista econômico”.

“O que nós precisamos no Brasil é parar e planejar, com muita seriedade, responsabilidade e espírito público, o nosso futuro e construir políticas públicas nesse sentido”, defendeu.

Faça seu comentário