|. HOME .| -->

Reservas atuais de petróleo devem se esgotar em 40 anos-p5

Exposição de Edison Lobão, ministro de Minas e Energia

RJ e SP têm maiores reservas do pré-sal

A nova província petrolífera na plataforma continental brasileira, chamada de pré-sal, se estende do litoral do Espírito Santo a Santa Catarina, passando pelo Rio de Janeiro, por São Paulo e pelo Paraná. Aí está o que nós chamamos, em linguagem técnica, de picanha azul.

Esses são os campos que foram recentemente quantificados e a área azul é a que não foi ainda distribuída. A verde e a amarela são poços que já foram distribuídos, campos já leiloados pelo regime de concessão e que pelo regime de concessão serão mantidos. Nada se fará diferente daquilo que se fez com os leilões realizados segundo os editais e a lei vigente.

Nós estamos promovendo alteração da lei, pedindo ao Congresso Nacional que vote os projetos do governo, para cá enviados recentemente, apenas para a parte azul, ou seja, os 70% do pré-sal ainda não leiloados. São 149 mil quilômetros quadrados. Desse total, já foram concedidos para exploração e produção 49 mil quilômetros, o que significa cerca de 30%, dos quais 36 mil quilômetros, ou seja, 24%, têm a participação da Petrobras.

Dessa forma, 72% do pré-sal, ou seja, 107 mil quilômetros quadrados, estão ainda em poder da União Federal. A área de ocorrência do pré-sal, cujo potencial petrolífero não se iguala a nenhum outro descoberto no Brasil até este momento, representa em torno de 2,3% do total das bacias sedimentares brasileiras, que totalizam 6 milhões e 400 mil quilômetros quadrados.

Sabe-se que o maior potencial da nova província concentra-se na Bacia de Santos, no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro, em região de águas ultraprofundas, com distância até a costa de cerca de 300 quilômetros. A nova província do pré-sal posicionará o Brasil entre os dez países com as maiores reservas de petróleo e gás natural. Vejam os senhores que somente a Arábia Saudita possui 264 bilhões de barris certificados.

[continua]

Páginas da Matéria: [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8] [9] [10]