|. HOME .| -->

Em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional senadores debatem situação de imigrantes haitianos no Brasil


Eduardo Braga (entre Cristovam Buarque e Vanessa Grazziotin) pediu a realização da audiência pública para debater problema (Foto: Lia de Paula/Agência Senado)

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado também promoveu, como parte do ciclo de debates sobre defesa nacional, dois encontros para discutir a situação de imigrantes haitianos que chegam à fronteira na região Norte. Em 13 de fevereiro, uma audiência pública reuniu autoridades do Acre e do Amazonas, que servem de porta de entrada para os haitianos no Brasil.

A situação preocupa os senadores, já que os imigrantes haitianos chegam ao Brasil muito vulneráveis, após longa viagem, e são explorados pelos chamados “coiotes”, que incentivam a viagem dessas pessoas e cobram por isso.

— Tabatinga se transformou no limbo dos haitianos. “Coiotes” financiam imigrantes e cobram altos juros, inclusive detendo familiares para poderem cobrar a dívida — disse o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), que pediu a realização da audiência pública pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional e apelou por uma solução do governo para a situação.

Para Braga, ou o governo do Brasil concede logo os vistos e acolhe os haitianos, facilitando o transporte deles até Manaus, ou os leva de volta ao Haiti. O senador quer que o Ministério da Justiça atenda os cerca de 4.500 imigrantes haitianos que ainda estão no Amazonas, principalmente em Manaus, alguns “mendigando e pedindo esmolas nas ruas”.

O secretário executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Barreto, reconheceu que parte dos imigrantes haitianos não foram contemplados com vistos humanitários em Tabatinga (AM). E disse que a Polícia Federal já investiga o grupo que estaria extorquindo os haitianos.

O senador Collor comentou que o Brasil já demonstrou que não quer incentivar a migração de haitianos, mas age de forma humanitária com os imigrantes que aqui chegam. Para ele, a principal ação brasileira é ajudar na reconstrução e estabilização do Haiti, para que seus habitantes possam viver com dignidade e em paz.


Durante o debate na CRE, o senador
Eduardo Suplicy insistiu para que Brasil
acolha haitianos (Foto: Felipe Barra/Agência Senado)

Os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Eduardo Suplicy (PT-SP) insistiram para que o governo do Brasil acolha os imigrantes haitianos. “Precisamos estabelecer uma política especial, para que possamos acolher de 10 mil a 20 mil haitianos como convidados, e não como pessoas exploradas entrando pelos fundos, de maneira ilegal”, propôs o senador Jorge Viana (PT-AC).


Jorge Viana defende criação de política especial de imigração
para acolher haitianos como "convidados" do país
(Foto: José Cruz/Agência Senado)

Presidente da CPI do Tráfico de Pessoas, a senadora Vanessa Graziottin (PCdoB-AM) convidou a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional e a Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado para participar do encontro em Manaus para ouvir os imigrantes haitianos.

Comentários
Faça seu comentário