|. HOME .| -->

Força Interina da ONU no Líbano

Fragata nacional integra força interina da ONU na costa do Líbano


Contra-almirante Zamith assumiu comando naval da Unifil em
fevereiro, substituindo o também brasileiro Luiz Henrique Caroli
(Foto: Pasqual Gorriz/UNIFIL)

A Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Unifil) conta com 12 mil militares de 37 países. Foi criada pelo Conselho de Segurança da ONU, em 1978, para, originalmente, monitorar a retirada de tropas israelenses do Líbano e ajudar os libaneses a restaurar o governo local.

Em 2006, com a deflagração de novo conflito entre Líbano e Israel, o Conselho de Segurança da ONU decidiu reforçar a Unifil e adicionou ao mandato original da Força Interina o objetivo de monitorar a cessação das hostilidades, acompanhar a atividade das tropas libanesas no sul do país e promover missões de assistência humanitária.

Em fevereiro deste ano, o contra-almirante Wagner Zamith assumiu o comando da Força Tarefa Marítima da Força Interina da ONU no Líbano. Zamith lidera uma tripulação com 243 homens e substituiu no posto o também brasileiro Luiz Henrique Caroli.

A Força Tarefa tem por missão patrulhar as águas da costa libanesa para evitar a violação do embargo de armas imposto ao Líbano pela ONU e treinar a Marinha daquele país. Desde o início das operações, em 2006, foram inspecionados mais de 36 mil navios.

Em novembro passado, o Brasil já havia enviado ao Líbano a fragata União. A embarcação brasileira é o principal navio de uma frota que conta com navios de vários países.

Segundo o ministro da Defesa, Celso Amorim, a participação do Brasil na Força Interina da ONU é parte da política externa brasileira de contribuir para a solução de conflitos internacionais. “Mas não nos oferecemos, fomos chamados pelo próprio governo do Líbano e pelas Nações Unidas para ajudar. Isso é uma demonstração do novo contexto em que o Brasil está inserido”, explicou Amorim.

Faça seu comentário