E-book O legislativo brasileiro
/Pesquisas de Opinião
Imprimir Compartilhe no Twitter

20/12/2011
Saúde lidera, mas corrupção já aparece entre principais preocupações do brasileiro

A corrupção já está entre as principais preocupações do brasileiro, aponta pesquisa do DataSenado. Incluída pela primeira vez na lista, ela apareceu em segundo lugar na consulta sobre os temas que mais preocupam os cidadãos, com 20% das respostas. A saúde, com 31%, ainda é a questão que mais incomoda. A pesquisa ouviu 1.314 pessoas, de todas as regiões do país, entre os dias 21 de novembro e 1º de dezembro, e tem margem de erro de 3%.

Outro ponto do levantamento que apresentou variação relevante foi a opinião em relação à forma de governo. Apesar de a grande maioria (73%) continuar considerando a democracia a melhor forma de governo, esse índice registrou um recuo de 10 pontos na comparação com a pesquisa de outubro de 2010, quando esse entendimento alcançou 83%. A consulta de junho de 2011 apontou 76%.

Expressiva maioria dos entrevistados (85%) acha que a liberdade de imprensa favorece a democracia no país, enquanto 76% entendem que a existência de muitos partidos políticos a prejudica. O Congresso Nacional tem papel muito importante na democracia, na avaliação de 74%.

Nessa pesquisa, além de saúde e corrupção, os temas que mais preocupam os brasileiros são segurança pública, em terceiro lugar (18%), seguida pela educação (13%) e emprego (8%). Não fosse a inclusão da corrupção, os resultados estariam na mesma ordem de preocupação apurada no levantamento anterior.

Estabilidade na avaliação do Senado
Neste levantamento, os resultados se mantiveram estáveis em relação a outras consultas, como o papel do Senado Federal, considerado muito importante para a solução dos problemas do país, na opinião de 74% de entrevistados.

Quanto à avaliação que os brasileiros fazem do Senado, houve uma redução de 28% para 22%, na opinião dos que consideram boa ou ótima a atuação da Casa. Subiu de 49% para 54% os que a consideram regular e manteve-se em 22% o resultado entre os que a consideram ruim ou péssima.

Da mesma forma, houve poucas mudanças quando o DataSenado quis saber se, na opinião do entrevistado, o Senado cumpre ou não o papel de fiscalizador dos atos do governo federal. Para 11% dos entrevistados, o Senado cumpre bem esse papel (no levantamento anterior, eram 14%), enquanto 34% acham que cumpre mal (eram 32%). Para 53%, que responderam à pesquisa, o Senado cumpre mais ou menos (eram 51%). Todas essas variações estão dentro da margem de erro. Quanto ao papel de elaborar leis que ajudem o país, os resultados também apresentam pouca variação. Para 8% dos entrevistados, o Senado cumpre bem esse papel (eram 9%), 36% acham que cumpre mal (eram 33%) e, para 54%, o Senado cumpre mais ou menos (eram 55%).

Quase maioria dos entrevistados (48%) afirmou que não se sente representada pelos Senadores do próprio estado. Esse índice cai para 32% entre os que se sentem representados em parte e cai para 17% entre os que se sentem, sim, representados pelos Senadores. Os entrevistados pelo DataSenado informaram que a principal fonte de informações a respeito do Senado é por meio da televisão (61%), seguido da internet (20%) e  jornais e revistas (11%). Entre os entrevistados, 81% consideram importante a existência dos meios de comunicação do Senado para divulgar os trabalhos da Casa.

Equilíbrio na sensação de bem-estar
O DataSenado também quis saber a opinião do brasileiro em relação a questões econômicas. Primeiro, os entrevistados foram questionados sobre a sensação de bem-estar nos últimos seis meses.  Para 56%, a situação permaneceu igual (no levantamento de junho, eram 52%), para 25%, houve uma melhora e, para 18%, a sensação de bem-estar piorou. Em outra pergunta, 52% afirmaram que a condição econômica nos últimos seis meses permaneceu igual, para 26% piorou e para 20% melhorou. Ainda relacionado à vida econômica da população, o DataSenado quis saber como as pessoas imaginam sua condição econômica para os próximos seis meses. O otimismo parece ter vencido, pois, para 58% dos entrevistados, a situação vai melhorar e apenas 11% acreditam que vai piorar. Para 24%, os próximos seis meses deverão permanecer igual.

Outras Informações:
DataSenado
(061) 3303 1211
datasenado@senado.gov.br
www.senado.gov.br/datasenado

Alô Senado Senado na mídia Alô Senado
STRANS - COORDENAÇÃO DE PESQUISA E OPINIÃO | Senado Federal, Via N2, Anexo D, Bloco 4, Cep 70165-900, Brasília/DF | (61) 3303-1211 | Alô Senado: 0800 612211
Senado Federal - Praça dos Três Poderes - Brasília DF - CEP 70165-900