|. HOME .| -->

Laboratórios de pesquisa do Coppe na UFRJ


O tanque construído no Laboratório de Tecnologia Oceânica
da Coppe é o maior do mundo (Foto: Álvaro Victor/Coppe-UFRJ)

No universo acadêmico, o Instituto Luiz Alberto Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é um dos bolsões de excelência em inovação no Brasil. Fundado em 1963 e localizado no campus da Ilha do Fundão (onde está sediada a UFRJ), é considerado hoje um dos maiores centros de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina.

A Coppe oferece 12 programas de pós-graduação, laboratórios, incubadoras de empresas e parcerias com governos e iniciativa privada. Um dos pontos fortes do instituto são os laboratórios, 116 ao todo, nas áreas de engenharia biomédica, mecânica, nuclear, civil, química, elétrica, oceânica, de produção, de transportes, de sistemas e computação, metalúrgica e de materiais e programa de planejamento energético, que formam o maior complexo laboratorial do país.

A Coppe também mantém, no Rio de Janeiro, o Núcleo de Computação de Alto Desempenho (Nacad), um laboratório especializado para resolução de problemas de engenharia e ciências em geral. Criado em 1988, foi pioneiro no Brasil em processamento de alto desempenho, contribuindo para o desenvolvimento da informática nacional, nas áreas de sistemas computacionais para engenharia, metodologias de programação, linguagens e compiladores, algoritmos, sistemas operacionais e arquitetura de computadores.


Padrão mundial

Todo esse investimento se reflete na qualidade da produção acadêmica. Na última avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), de setembro de 2010, a Coppe foi a instituição de pós-graduação em Engenharia que obteve a maior quantidade de conceitos máximos, atribuídos a cursos com desempenho equivalente aos dos mais importantes centros de ensino e pesquisa do mundo. “Isso serve de base para que possamos interagir melhor com a indústria e com as empresas”, avaliou Segen Farid Estefen, professor da Coppe, que esteve presente ao seminário promovido pela CCT do Senado.

Além dos equipamentos, também estão na Coppe o Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), da Petrobras; o Centro de Tecnologia Mineral (Cetem) e o Instituto de Engenharia Nuclear (IEN), ambos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI); e o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel), da Eletrobras. “Temos um ambiente rico na Ilha do Fundão, o que vai ter um desdobramento muito positivo nos próximos anos”, acredita Estefen.


Supercomputador no Núcleo de Alto Desempenho da Coppe: a instituição é recorde de conceitos máximos na avaliação da Capes (Foto: Marcus Almeida/Coppe-UFRJ)

Sumário

Indicadores de inovação tecnológica no mundo: a posição do Brasil nos rankings

Participação de commodities e de produtos de alta tecnologia na exportação do Brasil

Crise econômica mundial, exportação de commodities e primarização

Investimento em pesquisa e desenvolvimento, ciência, tecnologia e inovação no Brasil

Financiamento público nos países para pesquisa e desenvolvimento de tecnologia

Indústria no Brasil tem pouca participação nos produtos de inovação tecnológica

Laboratórios de pesquisa do Coppe na UFRJ

Convênios tecnológicos da UFCG, PB, referência em tecnologia e engenharia

Incubadoras de empresas no Brasil

Inovação, empresas e universidades: parques tecnológicos no Brasil

Leis federais e estaduais para incentivo de ciência, tecnologia e inovação no Brasil

Pesquisa, ciência, tecnologia e inovação começam na educação

Investimento em inovação tecnológica: Finep e os pesquisadores brasileiros

Universidade: doutores que não chegam às empresas e à pesquisa na indústria do Brasil

Formação em engenharia no Brasil: engenheiros para ciência e inovação tecnológica

Orçamento público de ciência, tecnologia e inovação: investimento do governo do Brasil

Desenvolvimento de pesquisas: NITs e redes temáticas

Programa Ciência sem Fronteiras: bolsas para estudantes e pesquisadores

Programas do CNPq para desenvolvimento de projetos de pesquisa em empresas

A Lei do Bem (Lei nº 11.196, de 2005)

Empresas privadas e leis de incentivo à ciência no cenário nacional

A economia do conhecimento: seminário sobre produção, ciência, tecnologia e inovação

Universidades do Brasil: poucas patentes e inovação tecnológica

Projeto de lei para setor de ciência, tecnologia e inovação

Recursos: o fundo social dos royalties de petróleo