O voto e o Senado

1894

1894

Primeira eleição direta para Presidente da República elege o paulista Prudente de Morais com cerca de 270 mil votos, que representavam quase 2% da população brasileira da época.

O voto direto para presidente e vice-presidente apareceu pela primeira vez na Constituição Republicana de 1891.

Crédito: Arquivo Público Mineiro - APM

1927

1927

O Governador do Rio Grande do Norte, Juvenal Lamartine, consegue uma alteração da lei eleitoral dando o direito de voto às mulheres. O primeiro voto feminino no Brasil – e na América Latina – foi em 25 de novembro, no Rio Grande do Norte. Quinze mulheres votaram, mas seus votos foram anulados no ano seguinte. No entanto, foi eleita a primeira prefeita da História do Brasil: Alzira Soriano de Souza, no município de Lages - RN.

Crédito: Foto Divulgação/ Agência Senado

1932

1932

Getúlio Vargas regulamenta o primeiro Código Eleitoral, garantindo o direito de voto às mulheres brasileiras, introduzindo o voto secreto e o sistema de representação proporcional em 2 turnos.

Crédito: Arquivo/Presidência da República

1933

1933

Eleições para a Assembleia Constituinte.

São eleitos 214 deputados e uma única mulher: a paulista Carlota Pereira de Queiroz.

Crédito: Foto Divulgação/ Agência Senado

Anos 60

Anos 60

Junia Marise cumprimenta Juscelino Kubitschek. Em 1990 ela foi a primeira senadora eleita do Brasil pelo PDT/ MG. Antes dela, em 1979, Eunice Michilles já havia ocupado o cargo no Senado Federal devido ao falecimento do titular da vaga.

Crédito: Arquivo Senado

Abril de 1984

Abril de 1984

Parlamentares e galeria repleta de manifestantes lutam pela aprovação da emenda Dante de Oliveira que previa eleições diretas (movimento conhecido como Diretas Já)

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

Janeiro de 1985

Janeiro de 1985

Colégio Eleitoral elege Tancredo Neves presidente na última eleição indireta no Brasil.

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

1985

1985

Senador Tancredo Neves e Deputado Ulisses Guimarães comemoram, ao lado de vários parlamentares, a escolha de Tancredo pelo Colégio Eleitoral (eleição indireta em 1985)

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

1985-1

1985-1

Mesmo com a eleição indireta, a população comemora nos gramados e rampas do Congresso Nacional a eleição do primeiro presidente civil após a ditadura militar.

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

1985-2

1985-2

Mesmo com a eleição indireta, a população comemora nos gramados e rampas do Congresso Nacional a eleição do primeiro presidente civil após a ditadura militar.

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

1985-3

1985-3

Sarney ao lado de sua mulher, Dona Marly, sobe a rampa do Congresso no dia da sua posse como presidente da República, em virtude do impedimento do presidente eleito Tancredo Neves, hospitalizado na ocasião.

Crédito: Arquivo Senado

1988

1988

Senador Humberto Lucena, deputado Ulysses Guimarães, o então presidente José Sarney e o senador Mauro Benevides durante sessão da Constituinte. A Constituição de 1988 garantiu o direito de voto aos analfabetos e maiores de 16 anos.

Crédito: Célio Azevedo/ Agência Senado

1990

1990

Fernando Collor de Mello lê juramento constitucional ao lado do presidente do Senado Nelson Carneiro (E), do presidente da Câmara Paes de Andrade (D) e do vice-presidente Itamar Franco (E). Collor foi o primeiro presidente eleito por voto direto após 21 anos de ditadura militar.

Crédito: Arquivo Senado

1992

1992

Multidão se concentra em frente ao Congresso Nacional para pedir o afastamento do presidente Collor. Pela primeira vez no Brasil um presidente sofre processo de impeachment e tem seus direitos políticos suspensos por oito anos. Assume Itamar Franco, seu vice.

Crédito: Arquivo da Câmara dos Deputados

1992-1

1992-1

A mobilização popular pelo impeachment ficou conhecida como Movimento dos Caras Pintadas, em menção aos milhares de estudantes que saíram às ruas com mensagens de protesto pintadas no rosto.

Crédito: Arquivo da Câmara dos Deputados

1999

1999

O salão verde da Câmara dos Deputados é abarrotado de folhas com assinaturas de mais de um milhão de eleitores a favor da Lei 9.840, que criminaliza a compra de voto. O momento é considerado o grande marco da mobilização popular contra a corrupção eleitoral no Brasil.

A lei foi publicada no Diário Oficial de 29 de setembro de 1999, véspera da data-limite para que pudesse vigorar nas eleições de 2000.

Crédito: Seção de Documentos Audiovisuais/ CEDI

2003

2003

Os presidentes Fernando Henrique Cardoso (1995 - 2003) e Luiz Inácio Lula da Silva (2003 - 2010) foram os civis reeleitos que tiveram o maior tempo de governo – oito anos cada – desde Getúlio Vargas. Na foto, cerimônia de posse presidencial em 1º de janeiro de 2003, quando Lula assumiu o governo eleito com cerca 50 milhões de votos.

Crédito: Jane Araújo/ Agência Senado                                                         

2010

2010

A lei conhecida como “Ficha Limpa”, que proíbe as candidaturas de políticos condenados pela Justiça em decisão colegiada, foi fruto de iniciativa popular e reuniu cerca de 1,9 milhão de assinaturas em seu favor. O projeto votado no Congresso foi transformado na Lei Complementar 135/10 e passou a vigorar no dia 7 de junho de 2010. Na foto, ato realizado na rodoviária de Brasília para coleta de assinaturas em favor da lei.

Crédito: Elza Fiúza/ABr